Pedro Archanjo ascensão da mestiçagem numa Bahia Branca
BR FCJA J/PP.mo / S245p por(BR) 2002


Referência

SARUBBI, Gabriela Martins. Pedro Archanjo ascensão da mestiçagem numa Bahia Branca. Orientador: Prof. Dr. Maurício Martins do Carmo. Rio de Janeiro, 2002. 46 f. Trabalho de Conclusão de Curso(Bacharelado em Licenciatura Plena)-Vice-Reitoria de Graduação do Curso de Letras, Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, 2002.

Tipo

Monografia

Resumo

Este trabalho pretende estudar o aspecto étnico-social inserido em Tenda dos Milagres, romance do escritos Jorge Amado, publicado em 1969. O foco de atenção será o protagonista do romance – Pedro Archanjo – o representante social. Considerada pelo próprio autor como sua melhor obra, reflete a discriminação racial sofrida pelos negros e mestiços baianos numa sociedade cuja minoria branca, por se considerar superior em origem e formação, comandava, perseguia e reduzia as outras duas raças a seres inferiores. Pedro Archanjo – protagonista da trama – foi o personagem preferido de Amado e era o representante máximo dessa minoria baiana. Ao lado de companheiros de lida, lutou pela conscientização de uma identidade nacional, buscando a cultura fora dos meios acadêmicos, estudando a origem do povo brasileiro e sempre enfrentando a violência, fosse ela da polícia perseguidora, ou o prof. Nilo Argolo, seu maior antagonista na narrativa. Foi um defensor dos marginais, dos pais de santo, dos homens e mulheres do povo baiano. Era o Oujobá de Xangô, Orixá da justiça na Umbanda e no Candomblé, cultos de origem africana: aquele que tudo vê. Este é estudo importante, na medida em que é o Brasil e seu povo – sofrendo na pele a discriminação de cor, credo ou nível social – que está presente na figura de Archanjo e seus companheiros retratados na trama com vivacidade e seriedade. É a voz do povo que fala através dos personagens de Amado, como elogio à miscigenação e ao cadinho cultural brasileiro. Ao mesmo tempo que Pedro Archanjo ‘vivia’ na obra de ficção de Amado, estudiosos da antropologia social brasileira traçavam seus pensamentos e teorias a respeito de nossa formação étnica e cultural. São abordados os pensamentos de Sílvio Romero. Euclides da Cunha. Oliveira Viana e Nina Rodrigues como fontes teóricas de embasamento para o personagem Nilo Argolo, professor da Faculdade de Medicina de Salvador e antagonista de Archanjo. É também abordado outro teórico muito importante para o trabalho: Gilberto Freyre que foi o primeiro intelectual a admitir a importância da contribuição do negro para a formação da raça brasileira e, por isso, aproxima-se de Archanjo: um na ficção, outro na realidade. A contribuição de Jorge Amado ao romance social brasileiro, em especial, o do Nordeste é outro ponto importante no estudo para efeitos de análise da obra amadiana e seu contexto social expresso especificamente neste trabalho, através de Pedro Archanjo e outros personagens de Tenda dos Milagres.

Notas

  • SUMÁRIO
  • INTRODUÇÃO
  • CAPÍTULO 1 TENDA DOS MILAGRES: A DRAMATIZAÇÃO DA MESTIÇAGEM BRASILEIRA
  • 1.1 Pedro Archanjo: o Ojuobá de Jorge Amado
  • CAPÍTULO 2 TEORIAS SOBRE A MISCIGENAÇÃO DA RAÇA BRASILEIRA
  • CAPÍTULO 3 PEDRO ARCHANJO E GILBERTO FREYRE – UMA APROXIMAÇÃO CONCEITUAL ENTRE A FICÇÃO E A REALIDADE
  • CAPÍTULO 4 A CONTRIBUIÇÃO DE JORGE AMADO AO ROMANCE SOCIAL BRASILEIRO
  • CONCLUSÃO
  • BIBLIOGRAFIA

Palavras-chave

J/PP.mo S245p; J/PP.mo; JA; ANÁLISE; TENDA DOS MILAGRES; PERSONAGEM MASCULINO; PERSONAGEM NEGRO; MISCIGENAÇÃO; ETNOGRAFIA; RACISMO; NEGRO; PRECONCEITO; BAHIA; CULTURA; GILBERTO FREYRE/SOCIÓLOGO, ANTROPÓLOGO E ESCRITOR; PEDRO ARCHANJO