O processo de tradução para a língua inglesa dos diálogos em Capitães da Areia de Jorge Amado
BR FCJA J/PP.di / A687p por(BR) 2009


Referência

ARAÚJO, Priscila Maynard. O processo de tradução para a língua inglesa dos diálogos em Capitães da Areia de Jorge Amado. Orientador: Prof. Dr. Gustavo Ribeiro da Gama. Salvador, 2009. 103 f. Dissertação(Mestrado em Letras e Lingüística)-Programa de Pós-Graduação em Letras e Lingüística, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

Tipo

Dissertação

Resumo

Esse trabalho estuda a tradução para a língua inglesa dos diálogos da obra Capitães da Areia de Jorge Amado. Para tanto, utiliza como base teórica a Teoria dos Polissistemas proposta por Itamar Even-Zohar (1990). Essa teoria nos permite determinar, primeiramente, a posição, central ou periférica, que esse texto-meta ocupa no sistema literário norte-americano. É a partir dessa posição que é evidenciado possíveis justificativas para as escolhas léxicas feitas pelo tradutor para reescrever o texto-meta. Faz-se uso, também, da sistematização dessa teoria proposta pelo teórico Gideon Toury (1995) e intitulada Estudos Descritivos da Tradução. Através dessa sistematização, são identificadas as normas tradutórias, ou seja, as escolhas lexicais comumente empreendidas tradutor. Essas normas, segundo Lefevere (2007), são controladas tanto pelos reescritores, tradutores, críticos, revisores, como pelas instituições que controlam a leitura, a escrita e a reescritura da literatura. No intuito de sistematizar o estudo descritivo das traduções literárias, os teóricos José Lambert e Hendrik Van Gorp (1985) elaboraram um modelo metodológico. Nesse modelo recolhem-se informações importantes sobre o contexto macro-estrutural em que está inserido o texto-meta. Esses dados, por sua vez, serão aplicados ao contexto micro-estrutural, ou seja, o corpus desta pesquisa. Considerando o fato que nem todas as soluções tradutórias puderam ser classificadas tomando como base o contexto histórico, foi feito uso de alguns procedimentos tradutórios propostos pelos teóricos Vinay e Darbelnet (1996). Foram trabalhados, ainda os conceitos de domesticação e estrangeirização propostos por Venuti (1995), apesar da consciência da inclinação do teórico à adoção do conceito de domesticação. Por fim, nas conclusões finais, a união entre as informações recolhidas no nível macro-estrutural e no nível micro-estrutural buscando determinar a função cultural que esse texto-meta desempenha nesse sistema norte-americano.

Notas

  • INTRODUÇÃO
  • CAPÍTULO I
  • 1 A TRADUÇÃO LITERÁRIA E FIDELIDADE
  • 1.1 O processo tradutório: algumas considerações / 1.1.1 As figuras do autor e do escritor na modernidade
  • CAPÍTULO II
  • 2 FUNDAMENTOS METODOLÓGICOS
  • 2.1 A teoria dos polissistemas / 2.2 Os estudos descritivos da tradução e os teóricos Gideon Toury e André Lefevere / 2.3 O modelo metodológico de Lambert e Van Gorp / 2.4 Os conceitos de Domesticação e Estrangeirização / 2.5 A metodologia
  • CAPÍTULO III
  • 3 OS DADOS PRELIMINARES E OS NÍVEIS MACRO E MICRO-ESTRUTURAL
  • 3.1 Dados preliminares / 3.2 Níveis macro e micro-estrutural / 3.2.1 Resgatando a dimensão humana dos sujeitos envolvidos no processo tradutório e seus produtos / 3.2.2 O autor Jorge Amado e a marca de oralidade em sua obra / 3.2.3 O texto de partida e seus diálogos metatextuais / 3.3 O tradutor Gregory Rabassa e sua circunstância / 3.3.1 Gregory Rabassa: conceito e técnica vital de tradução / 3.3.2 O estilo Gregory Rabassa e Captains of the sands
  • CAPÍTULO IV
  • 4 INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS COMPARATIVOS
  • 4.1 Análise do corpus / 4.1.1 Domesticação da linguagem / 4.1.2 Soluções criativas / 4.1.3 Expressões idiomáticas / 4.1.4 Nomes e logradouros / 4.1.5 Elementos afro-baianos
  • 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • REFERÊNCIAS
  • ANEXO 1 – Materiais complementares
  • ANEXO 2 – Os diálogos analisados

Palavras-chave

J/PP.di A687p; J/PP.di; JA; CAPITÃES DA AREIA; ANÁLISE; TRADUÇÃO; GREGORY RABASSA/TRADUTOR; LINGUAGEM; INGLÊS