Acervo de documentos


O mito e a narrativa de Mar morto BR FCJA J/PP.di / A1m por(BR) 1981

ADOLFO, Sérgio Paulo. O mito e a narrativa de Mar morto. Orientadora: Profª. Dra. Maria Ligia Martha Ayello. Bauru, 1981. 117 f. Dissertação(Mestrado em Letras)-Faculdades do Sagrado Coração, Bauru, 1981.

O estudo estabelece a dicotomia espacial entre os dois mundos presente em Mar morto, o profano e o sagrado. Sendo que o espaço sagrado é ocupado pelo povo do mar. Na análise crítica do autor, observa que a sacralidade do espaço para o povo do mar, torna este povo diferente do povo da terra, tanto nas atitudes quanto nas ideologias. O estudo busca na Antropologia Filosófica estudos sobre o mito na tentativa de compreender esta obra amadiana, que, como tantas outras, divulgam e estruturam-se sobre os mitos afro-brasileiros. Esta é a causa desta pesquisa sobre o mito e sobre a posição assumidas pelos filósofos. Por outro lado procura-se utilizar teorias literárias como as de Claude Bremmond e Roland Barthes para atingir a estrutura e a função dos elementos míticos, chegando assim a proposta fundamenta: o mito e a narrativa em Mar morto.

La realidad en su clave fantástica según Jorge Amado BR FCJA J/PP.di / A237r esp(a) 1995

AGUIRRE, Alicia E. La realidad en su clave fantástica según Jorge Amado: uma aproximación al ámbito infanto-juvenil. [A realidade em sua finque fantástica segundo Jorge Amado: uma abordagem]. Orientadora: Profª. Mirian Pino. Córdoba, 1995. 179 f. Dissertação(Mestrado em Literatura Infanto-Juvenil)-Instituto Nacional de Educação Superior, Córdoba, 1995.

Este trabajo es reflejo de la situación de investigación a la fecha. Como este resultado es un proceso, pueden producirse pequeñas variaciones aún dentro del mismo texto. Éste, esta organizado en siete grandes marcos de trabajo y dentro de cada uno de ellos puede haber de uno hasta cinco capítulos; al final de cada capítulo hay una hoja de notas com las referencias citadas en el mismo. Hemos querido, a través del estudio teórico y el análisis de la obra de Jorge Amado, reconocer sus estrategias para plantear la problemática social a través de la literatura; y la forma em que los lectores jóvenes receptan esta ideología. Para esto, hemos centrado nuestra atención em dos novelas cortas: El Gato Manchado y la Golondrima Sinhá: Uma historia de amor (1978) (1) y La Muerte y la Muerte de Quincas Berro Dágua (1984) (2). Después de las conclusiones, proponemos los caminos que se pueden seguir, de acuerdo a lo que hemos vislumbrado, sin descartar la posibidad de mejorar este trabajo. Debido a la importancia del fechado en la obra de Jorge Amado, y a que su edición castellana puede diferir en muchos años, en notas de este capítulos incluímos la nómina de primeras ediciones hasta este momento, de toda su obra. Aclaremos además, que los años que acompañan los distintos títulos, se refieren a la edición en castellano que se ha manejado, salvo indicación en contrario.

Um padê na encruzilhada para o Exu de Vadinho BR FCJA J/PP.di / A444p por(BR) 1999

ALMEIDA, Roberto Baptista de. Um padê na encruzilhada para o Exu de Vadinho: considerações interdisciplinares a partir da cultura afro-brasileira. Orientadora: Profª. Dra. Helena Parente Cunha. Rio de Janeiro, 1999. 105 f. Dissertação(Mestrado em Teoria da Literatura)-Coordenação dos cursos de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

Aborda a influência da cultura negra na obra Dona Flor e seus dois maridos.

O processo de tradução para a língua inglesa dos diálogos em Capitães da Areia de Jorge Amado BR FCJA J/PP.di / A687p por(BR) 2009

ARAÚJO, Priscila Maynard. O processo de tradução para a língua inglesa dos diálogos em Capitães da Areia de Jorge Amado. Orientador: Prof. Dr. Gustavo Ribeiro da Gama. Salvador, 2009. 103 f. Dissertação(Mestrado em Letras e Lingüística)-Programa de Pós-Graduação em Letras e Lingüística, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

Esse trabalho estuda a tradução para a língua inglesa dos diálogos da obra Capitães da Areia de Jorge Amado. Para tanto, utiliza como base teórica a Teoria dos Polissistemas proposta por Itamar Even-Zohar (1990). Essa teoria nos permite determinar, primeiramente, a posição, central ou periférica, que esse texto-meta ocupa no sistema literário norte-americano. É a partir dessa posição que é evidenciado possíveis justificativas para as escolhas léxicas feitas pelo tradutor para reescrever o texto-meta. Faz-se uso, também, da sistematização dessa teoria proposta pelo teórico Gideon Toury (1995) e intitulada Estudos Descritivos da Tradução. Através dessa sistematização, são identificadas as normas tradutórias, ou seja, as escolhas lexicais comumente empreendidas tradutor. Essas normas, segundo Lefevere (2007), são controladas tanto pelos reescritores, tradutores, críticos, revisores, como pelas instituições que controlam a leitura, a escrita e a reescritura da literatura. No intuito de sistematizar o estudo descritivo das traduções literárias, os teóricos José Lambert e Hendrik Van Gorp (1985) elaboraram um modelo metodológico. Nesse modelo recolhem-se informações importantes sobre o contexto macro-estrutural em que está inserido o texto-meta. Esses dados, por sua vez, serão aplicados ao contexto micro-estrutural, ou seja, o corpus desta pesquisa. Considerando o fato que nem todas as soluções tradutórias puderam ser classificadas tomando como base o contexto histórico, foi feito uso de alguns procedimentos tradutórios propostos pelos teóricos Vinay e Darbelnet (1996). Foram trabalhados, ainda os conceitos de domesticação e estrangeirização propostos por Venuti (1995), apesar da consciência da inclinação do teórico à adoção do conceito de domesticação. Por fim, nas conclusões finais, a união entre as informações recolhidas no nível macro-estrutural e no nível micro-estrutural buscando determinar a função cultural que esse texto-meta desempenha nesse sistema norte-americano.

Aspectos culturais no processo tradutório BR FCJA J/PP.di / B319a por(BR) 2004

BASSANI, Sandra Mara Mendes da Silva. Aspectos culturais no processo tradutório: um estudo da tradução de obras de Jorge Amado. Orientadora: Profª. Dra. Sílvia Inés Cárcamo. Rio de Janeiro, 2004. 112 f. Dissertação(Mestrado em Língua Espanhola e Leituras Hispânicas)-Coordenação dos cursos de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

As perspectivas lingüísticas e culturais da tradução. A tradução literal, a tradução livre e os procedimentos de tradução. A identidade cultural da Bahia nas obras Cacau, Suor, Mar Morto, Jubiaba e Capitães da Areia. A poética do regionalismo literário da década de 30 a partir da perspectiva da tradução. O tradutor como mediador entre as culturas. A tradução, a iconografia e as barreiras culturais na tradução. Propõem-se a investigar como o universo baiano diverso em sua cultura, com toda sua heterogeneidade religiosa, gastronômica e étnica, foram traduzidos no universo hispânico.

Jorge Amado no além-mar BR FCJA J/PP.di / B433j por(BR) 1998

BERGAMO, Edvaldo Aparecido. Jorge Amado no além-mar: política e literatura na representação da infância marginalizada. Orientadora: Profª. Dra. Tania Celestino de Macêdo. São Paulo, 1998. 146 f. Dissertação(Mestrado em Letras - Literaturas de Língua Portuguesa)-Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, São Paulo,1998.

Partindo do conceito de macrossistema literário, instituído por Benjamin Abdala Jr., para compreender a dialética confluência/divergência de parâmetros estéticos e ideológicos que informam as produções engajadas das literaturas de Língua Portuguesa, este trabalho pretende investigar como alguns procedimentos narrativos (adesão afetiva do narrador ao relato, representação positiva do oprimido e o processo de degradação do espaço) são retomados/transformados por determinadas obras engajadas, tendo como elemento aglutinador a representação da infância marginalizada, além da vinculação a uma perspectiva política de esquerda. São elas: Capitães da areia (1937), de Jorge Amado, Gaibéus (1940), de Alves Redol, Esteiros (1941), de Soeiro Pereira Gomes e “Companheiros”, de Luandino Vieira, presente em A cidade e a infância (1960). De acordo com a dinâmica cultural e intertextual que envolve as literaturas de Língua Portuguesa, proposta pelo macrossistema, o cotejamento dos textos não é guiado por qualquer ideia de subordinação comparatista de uma obra em relação à outra, já que essas narrativas são observadas a partir de um mesmo patamar crítico, ainda que reconhecendo o papel pioneiro exercido por Jorge Amado em relação ao engajamento literário em Língua Portuguesa.

La ambigüedad en tres obras de Julio Cortázar y Jorge Amado BR FCJA J/PP.di / B896a esp(a) 1981

BROWER, Keith H. La ambigüedad en tres obras de Julio Cortázar y Jorge Amado. [A ambigüidade em três obras de Julio Cortázar e Jorge Amado]. Pensilvânia, 1981. 57 f. Dissertação(Mestrado em Artes)-Department os Spanish, Italian and Portuguese, The Pennsylvania State University, Pennsylvania, 1981.

Según el diccionario Rances la palabra ambigüedad quiere decir incertidumbre; algo dudoso, sin sentido fijo. Así que, uma ambigüedad, presente en un modo de comunicación (sea escritor u oral), se considera principalmente como falta o error en que crea la posibilidad de variadas interpretaciones en vez de la mensaje intecionado. De este modo se hancondenado varias obras literarias porque contienen aspectos ambiguos, hilos sueltos, que estorban la comunicación eficaz del tema o del argumento, presentando nada más que una imagen borrosa de lo que quiere decir el autor. Pero la connotación de la palabra no es, o no debe ser, intrínsecamente negativa. La ambigüedad intencionada en manos del escritor puede ser una legítima técnica literaria, algo que en vez de quitar sentido del tema, avuda em su comunicación. El uso o la manipulación de la ambigüedad y el papel que hace varían de autor em autor y de obra en obra. El autor sabe emplear la ambigüedad según sus propios fines, y los usos son numerosos. La ambigüedad puede ser um aspecto menor de una obra o el aspecto principal. Puede formar parte de la estructura de una obra o principal de la estructura misma. Su función puede ser completamente estilística, temática, o una combinación de los dos. La ambigüedad intencionada, controlada y manipulada por parte del autor, puede tener variados papeles y funciones en una obra escrita, y contribuir una verdadera técnica. Dos famosos escritores latinoamericanos que emplean esta técnica literaria, de una manera muy intecionada, son Julio Cortázar y Jorge Amado.

O condicionamento telúrico-ideológico do desejo em Terras do Sem Fim de Jorge Amado BR FCJA J/PP.di / C87c por(BR) 1975

COSTA, Lígia Militz da. O condicionamento telúrico-ideológico do desejo em Terras do Sem Fim de Jorge Amado. Orientador: Prof. Dr. Affonso Romano de Sant'Anna. Rio de Janeiro, 1975. 106 f. Dissertação(Mestrado em Literatura Brasileira)-Departamento de Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1975.

Os quarenta e quatro anos de literatura de Jorge Amado, suas vinte e duas obras publicadas, seu consumo fabuloso comprovado nas tiragens cada vez maiores, sucessivas reedições e traduções para mais de trinta idiomas, constituem-se desde sempre, num desafio para o analista. Procurando penetrar mais profundamente nessa realidade literária brasileira que é o escritor baiano, este trabalho é à análise sistemática de uma de suas obras, Terras do Sem fim (São Paulo, 1943), que entendemos representativa das marcas essenciais de toda a sua ficção. Nosso trabalho pretende ser a demonstração do grau de abertura e opacidade existentes no seu discurso. A própria especificidade do texto forneceu-nos o caminho para a sua desmontagem: pelas leituras horizontais e verticais da obra revelou-se-nos sua construção dicotômica estruturada sobre um modelo de duplicidade. Inicialmente os elementos deste modelo atualizam-se em relação de oposição: é dentro do tecido narrativo, onde significantes oferecidos nas relações “in praesentia” do signo (“terras, dinheiro, cacau e morte”) opõem-se a outros percebidos nas relações “in absentia” (“amor, liberação”); tais significantes constituem duas séries paradigmáticas identificadas como preenchimento de um vazio, que se nomeou como desejo econômico e desejo erótico, e analisou, respectivamente, por meio do discurso ideológico/contra-ideológico e do discurso onírico. Na segunda parte do trabalho, a oposição entre os elementos do modelo de duplicidade aparece atenuada, graças a um denominador comum que os condiciona: a aliança telúrico-ideológica. Desfaz-se a radical qualificação positiva ou negativa que poderia ter ficado implícita na parte inicial, porque agora, tanto um como outro elemento da duplicidade dependem de um mesmo significante: a “terra”. È com os personagens que a afirmação se explicita claramente: são dúplices construções (positivos e negativos) em dupla articulação (desejo econômico e desejo erótico), porquanto expressões do convívio de elementos dados como isolados. O índice de abertura assim configurado pela neutra aproximação de “opostos”, ver-se-á ampliado pelo nostálgico escapismo romântico e pela presença do lirismo. A ambigüidade depreendida das relações ao mesmo tempo de oposição e complementaridade é confirmada pelo estudo da linguagem como representação lúdica, desde o arranjo estrutural do discurso e da narrativa, até o paródico jogo da “verdade”, que determinam à obra um sentido outro que não é só ideológico ou contra-ideológico, mas sentido de linguagem enquanto linguagem, opacidade de discurso.

O real - irreal em Os Velhos Marinheiros BR FCJA J/PP.di / C87r por(BR) 1978

COSTA, Raquel Arcoverde N. da. O real - irreal em Os Velhos Marinheiros. Orientador: Prof. Juarez da Gama Batista. João Pessoa, 1978. 81 f. Dissertação(Mestrado em Letras)-Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 1978. Possui em anexo o Projeto de Tese datado de 1977.

A escolha do tema O Real-irreal em os Velhos Marinheiros, de Jorge Amado se deu devido à narrativa moderna. Observou-se que esta apreendia o real em todas as suas possibilidades, havendo, portanto, nela uma verdadeira rebelião contra o realismo horizontal, até então em voga. Daí, portanto este estudo baseia-se na obra de Jorge Amado, verificando nela esse aspecto, evidenciando nas duas histórias que compõe a narrativa de Os Velhos Marinheiros, narrativa importantíssima para a compreensão da nossa moderna ficção, pois o autor apresenta-se como um inovador, criando formas novas, reinventando a realidade, ultrapassando a sua posição de simples narrador, e chegando a se revelar um poeta, no sentido de revelador profundo do humano. O estudo busca ainda compreender melhor a narrativa de Os Velhos Marinheiros; determinar de que modo o autor em questão vê a realidade dos fatos em sua obra, através de uma visão aparente irreal; compara os personagens e as ações nas duas histórias do cais da Bahia, que estão em Os Velhos Marinheiros; verificando como o autor se utiliza de outros elementos na montagem das histórias. Procurando fazer um estudo comparativo entre as duas narrativas, partindo da hipótese de que a narrativa moderna retomou o lugar antigo da poesia como reveladora do real. A parte teórica contém os seguintes itens: a evolução da poética, o conhecimento e o sentido do real; o romance do real; os personagens do romance moderno.

O mundo dividido de Jorge Amado BR FCJA J/PP.di / D375m por(BR) 1976

DELA BRUNA, Vitório. O mundo dividido de Jorge Amado. Orientador: Prof. Vicente de P. Ataíde. Florianópolis, 1976. 232 f. Dissertação(Mestrado em Letras)-Departamento de Língua e Literatura Vernáculas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1976.

Neste trabalho encontramos uma visão conjunta das teorias sobre a personagem romanesca, quanto a sua importância e organização. É apresentado o autor dentro da sua vasta obra literária e diante do conceito de que seja a função da arte para ele. Este estudo tem por objetivo mostrar o mundo dividido através da posição e cosmovisão do romancista, somente possível fazê-lo, pela óptica e comportamento de suas criaturas. Seja porque a visão do escritor não se encontra numa única personagem, seja para uma demonstração mais contundente; foi feita uma organização dos tipos humanos, coadunando num único modelo de diversos extratos semelhantes que surgem ao longo das obras, que por sua posição ou estado social mostram claramente aquele mundo humano divisionário. Na conclusão é estabelecido o relacionamento daquele universo humano em choque. É evidenciado as posições de diversos grupos que se opõem pelos interesses de cada um. Podemos constatar que há um mundo bipartido. De um lado o poder em conflito entre si porque pensa na primeira pessoa. De o outro lado o existir solidário porque pensa na terceira pessoa e luta para se libertar contra a prepotência.


4832 documentos